Quem tem direito ao Bolsa Família?

Ninguém pode negar que o Bolsa Família é um dos programas do Governo Federal que mais fez sucesso entre a população carente, servindo de auxílio para diversas famílias de extrema pobreza, levando alimento para aqueles que necessitam. Deixando de lado a politicagem, o programa ajudou e ajuda muita gente que realmente precisa.

Você gostaria de saber se tem direito ao Bolsa Família? Hoje estaremos explicando em breves palavras como funciona o programa e esclarecendo as principais dúvidas em relação ao benefício para que você possa saber se tem ou não o direito de receber-lo.

O que é o Bolsa Família?

O programa do Governo Federal é um transferência de renda para famílias, que se enquadram no quesito social de pobreza e também de extrema pobreza, em todo o território nacional. O principal objetivo é fazer com que eles possam ter algum direito em relação a alimentação, saúde ou educação.

São mais de 13 milhões de famílias atendidas pelo Bolsa Família de norte ao sul do Brasil.

Quais os principais objetivos do Bolsa Família?

Entre os principais objetivos do auxílio estão:

  • O combate a pobreza e privações de famílias carentes
  • O acesso a serviços públicos como assistência social, segurança, alimentação, educação e saúde.

Quem tem o direito ao Bolsa Família?

Famílias que estão na faixa de pobreza ou extrema pobreza, podem se beneficiar do programa Bolsa Família. Quem possui uma renda mensal de até R$ 85 por pessoa (exemplo, uma família constituída por 2 adultos e 1 criança, igual a R$ 255), é considerado faixa da extrema pobreza. Já aqueles que possuem renda mensal que varia entre R$ 85,01 a R$ 170 por pessoa (exemplo, uma família constituída por 2 adultos e 1 criança, que tem renda total de até R$ 510), são incluídas na faixa da pobreza.

Famílias que na composição familiar, haja gestantes e crianças ou adolescentes entre 0 e 17 anos. E atendam os critérios acima.

Famílias que tenham renda de zero a 170 reais por pessoa e que tenham adolescentes entre 16 e 17 anos na composição familiar.

Para saber todos os detalhes de quem tem direito ao Bolsa Família, consulte a página oficial da Caixa na Internet, ou vá até a prefeitura ou órgão responsável pelo programa em sua cidade.

Como se candidatar ao programa?

Para poder receber ou tão somente se candidatar a receber o auxílio do programa, a família deverá estar inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. Os dados do cadastro devem estar atualizados, não sendo mais antigo que dois anos.

Caso você se enquadre nos requisitos mínimos para receber e ainda não esteja incluso no programa, vá até a prefeitura de sua cidade e converse com o responsável pelo Bolsa Família daquela jurisdição e então solicite o Cadastro Único, para poder dar continuidade ao processo de seleção.

Estar cadastrado não significa que você irá receber. Todos os meses o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome, faz a seleção das famílias e também a inclusão, de forma automática. Portanto é possível que você receba no mês seguinte a efetuação do cadastro, ou não. Isso vai depender do MDS. Todos os meses faça a consulta com o responsável da prefeitura para saber se você foi ou não incluído no programa.

Calendário do Bolsa Família de junho

Confira o calendário do bolsa família de junho.

Calendário Bolsa Família Junho 2017
Final do NIS Data de Pagamento
1 19 de junho
2 20 de junho
3 21 de junho
4 22 de junho
5 23 de junho
6 26 de junho
7 27 de junho
8 28 de junho
9 29 de junho
0 30 de junho

Site: www.caixa.gov.br/programas-sociais/bolsa-familia

Regra de Transição da Reforma da Previdência

Com as propostas da reforma previdenciária apresentada pelo governo Temer, surgiram inúmeras dúvidas na cabeça das pessoas que estão próximas de sua tão sonhada aposentadoria. Isto porque quando o assunto é relacionado à Previdência Social existem muitos termos técnicos que são conhecidos por quem é especialista no assunto ou trabalha nesse meio. Um dos assuntos que mais tem gerado essas dúvidas é a respeito da regra de transição da reforma previdenciária. Então, quer saber do que se trata? Leia o artigo abaixo!

O que é a Regra de Transição da Reforma da Previdência

Para entendermos o que é a regra de transição da reforma previdenciária, é preciso que entendamos primeiramente qual a situação atual da norma de aposentadoria. Hoje em dia, para se aposentar o contribuinte deve seguir a fórmula 85/95. Não sabe que fórmula é esta? Pois bem, esse método permite que uma mulher se aposente apenas quando a idade dela mais o tempo de contribuição for igual a 85 e, no caso dos homens, 95.

Na reforma da previdência, o governo federal propôs que tenha uma idade mínima de 65 anos para homens e mulheres darem entrada na sua aposentadoria. No entanto, homens com ou mais de 50 anos e mulheres com ou mais de 45 deverá obedecer à uma regra de transição.

Essa regra de transição da reforma da previdência define que uma pessoa deverá exercer atividade remunerada por mais tempo para se aposentar. Esse tempo adicional corresponde à metade do período que falta para essa pessoa ter direito à aposentadoria. Está difícil de entender? Calma, iremos simplificar! Por exemplo, se o cidadão falta um ano pelas regras atuais para dar entrada na aposentadoria, com a regra de transição esse tempo será aumentado para um ano e meio.

Reforma da aposentadoria

A reforma da aposentadoria apresentada pelo governo Temer tem gerado um grande discursão, seja por parte da sociedade ou também dos parlamentares. Há um grande embate à respeito dos malefícios e benefícios que esta reforma da aposentadoria pode apresentar para as gerações futuras. Para evitar qualquer desentendimento, é preciso que os brasileiros fiquem atentos à respeito dos principais pontos da reforma. Abaixo, selecionamos primeiramente as novas propostas da reforma previdenciária e, em parêntese, mostramos a atual situação.

Tempo mínimo de contribuição: 25 anos (hoje, 15 anos de contribuição).

Idade de aposentadoria: 65 anos com a regra de transição citada acima (atualmente, a soma da idade e tempo de contribuição deve corresponder à 85 para mulheres e 95 para homens).

Aposentadoria rural: os trabalhadores rurais deverão contribuir para o INSS, e aposentar com 65 anos, tendo 25 anos de contribuição [hoje, o trabalhador rural se aposenta com 55 anos (mulheres) e 60 (homens) e precisa comprovar 15 anos de trabalho no campo].

Servidores públicos: a reforma propõe fim das diferenças entre regime da previdência geral e o público (atualmente, há um regime próprio e separado da Previdência para os trabalhadores privados) Informações do Senado Federal.